Ramon Cassini

Animal

Como identificar a depressão canina?


27/09/2016

A depressão é um problema de ordem psicológica que afeta não somente os humanos, mas também os animais que tanto amamos, e é mais comum do que parece no mundo animal, principalmente entre os cães. O estado depressivo de cachorros pode ser desencadeado por vários motivos como, por exemplo, uma mudança de ambiente, morte de algum membro da família e situações estressantes. A depressão canina também pode estar associada à ansiedade e fobias, em uma fase em que o animal vai depender ainda mais da dedicação dos donos. O sentimento de solidão e abandono também é um dos principais causadores de problemas psicológicos, porque muitos donos que têm a rotina agitada não dão a devida atenção aos seus bichinhos, que passam muito tempo sem companhia. Ainda, a inclusão de um novo animal de estimação dentro de casa e a perda de liberdade podem gerar estresse no animal, assim como experiências traumáticas, como cirurgias e atropelamentos, e animais em fase de recuperação de alguma doença podem apresentar sinais de apatia típicos da depressão canina. Assim como os humanos, os cachorros também apresentam uma série de comportamentos que podem indicar sinais de depressão. Entretanto, é fundamental que o dono fique atento aos hábitos de seu cãozinho, pois os sintomas nem sempre são fáceis de serem identificados e podem ser confundidos com cansaço ou tédio. Confira alguns sintomas da depressão canina: – Falta de interação dentro de casa e com outros animais; – Inatividade e baixo interesse em atividades, como correr ou passear; – Movimentos mais lentos que o normal; – Mudança de apetite, seja deixar de comer repentinamente ou comer demais, com oscilação de peso; – Alterações no sono, pois os cães deprimidos geralmente dormem mais, enquanto que os que ficam mais nervosos e inquietos apresentam dificuldades para dormir; – Intolerância ao toque físico oferecidos pelos donos; – Comportamentos estranhos, como gemer e choramingar com frequência, ficar nervoso, apegar-se excessivamente ao dono ou até mesmo ficar escondido por horas. Em casos mais graves de depressão canina, o cãozinho pode apresentar comportamentos autodestrutivos, como bater contra a parede, se automutilar ou parar de comer. Ao notar alguns destes sinais no cãozinho, o dono deve imediatamente levá-lo a uma clínica veterinária para uma consulta com um profissional de saúde animal. Somente o veterinário terá as ferramentas e informações necessárias para identificar o problema psicológico e diferenciá- -lo de outras doenças de sintomas parecidos. A automedicação para cães jamais deve ser feita. Em casos de problemas psicológicos, a recomendação é ainda mais importante, pois o tipo de medicação usado para tratar a depressão canina é muito forte e, quando não administrado de maneira correta, pode prejudicar ainda mais o animal ao invés de ajudá-lo.

Publicidade Notícias - 1
Publicidade Notícias - 2
Publicidade Notícias - 3