Esmola se torna incentivo para desistir de novos caminhos


22/03/2017

Campanha é lançada em parceria com orgãos públicos para buscar soluções quanto as pessoas em situação de rua


Nos últimos anos, o número de moradores de rua em Pará de Minas tem crescido significativamente. Estas pessoas se instalam próximo de pontos comerciais e sinais de trânsito, pedindo dinheiro ou mesmo consumindo drogas. Esse cenário tem gerado inúmeras reclamações – tanto por parte dos comerciantes quanto dos consumidores – em relação ao comportamento muitas vezes agressivo e intimidador dos pedintes.

Atenta à situação, a Ascipam decidiu – em defesa de seus associados que solicitaram uma ação de urgência – buscar parcerias para solucionar este problema. O resultado foi o desenvolvimento de uma campanha – em conjunto com a Prefeitura de Pará de Minas, através de suas secretarias; Polícia Militar, Polícia Civil, OAB, bem como igrejas evangélicas e católicas – defendendo a tese de que doar dinheiro ou alimento para moradores de rua contribui para que estes permaneçam nessa condição e não busquem melhores rumos.

De acordo com o presidente da Ascipam, Misael Almeida, a rua não é um local adequado para servir de moradia: "Estamos lançando a campanha para ajudar as pessoas em situação de rua. Como comerciante, tenho acompanhado este quadro há cerca de dois anos e percebo que ele está piorando. Tivemos muitas reclamações por parte dos associados e decidimos agir. Sabemos que estamos falando de nossos irmãos e que estes têm o direito de ir e vir, mas eles também têm de respeitar nossos direitos. Se Deus quiser e com a ajuda da sociedade, vamos contribuir para que eles consigam um lugar para viver com dignidade".

A Polícia Civil também abraçou a causa, como explica o delegado Carlos Henrique Gomes Bueno: "É uma iniciativa muito importante. Esta campanha que a Ascipam e os órgãos de Pará de Minas estão começando visa mostrar à sociedade que dar esmolas contribui para que as pessoas em situação de rua continuem pedindo dinheiro para se manterem em um cenário que as colocam em risco. É importante que a população de Pará de Minas conheça os serviços públicos que são disponibilizados, que saibam que estas pessoas têm condições de serem atendidas no setor de Assistência Social que a Prefeitura já disponibiliza."

O delegado também explicou que em caso de constatação de qualquer crime ou delito, como ameaça ou tentativa de extorsão, a população deve acionar os órgãos policiais, seja a Polícia Militar ou Civil.

A Polícia Militar, também parceira da campanha, atuará com a missão de prevenir crimes, além de garantir a ordem e a paz na cidade. "A ideia é envolver todos os órgãos, cada um cumprindo a sua atribuição. Nossa atuação já é planejada e temos um carinho muito grande pelas pessoas de modo geral, pois nossa missão é servir e proteger a todos. Essas pessoas em situação de rua devem receber o tratamento que merecem por parte do Estado e nós temos órgãos competentes para isto. Havendo a ruptura da ordem, vamos atuar. A questão do morador de rua é uma questão social grave em todo o país e deve receber especial atenção do Estado. Entretanto, especialistas afirmam que é necessária força de vontade por parte da pessoa que vive na rua e participação ativa da comunidade. Se os moradores de rua não recebem dinheiro para se sustentar, torna-se mais fácil que eles recebam ajuda dos órgãos competentes", ressaltou o Tenente-Coronel Costa Júnior, da Polícia Militar.

Pará de Minas conta com um trabalho bem elaborado pela Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, através do Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro POP), onde as pessoas recebem toda assistência necessária para buscarem novos caminhos. "O Centro POP oferece total amparo para as pessoas que querem sair da rua, mas algumas vezes, os indivíduos que estão ali não querem sair. Por isso, esperamos que com esta campanha eles possam ter oportunidade de viver em condições melhores", afirmou o secretário de Assistência e Desenvolvimento Social, Vílson Antônio dos Santos.

Para conhecer o trabalho do Centro Pop, basta comparecer à rua Coronel Domingos, 471. O horário de funcionamento é de segunda a sexta, das 7 às 17 horas. O contato pode ser feito pelo telefone (37) 3231-7500.

Publicidade Notícias - 1
Publicidade Notícias - 2
Publicidade Notícias - 3